Alimentação

O Aconcagua é uma montanha longa. Com seus quase 7 mil metros de altitude requer muito tempo para aclimatação. O tempo médio de uma expedição ao cume e retorno é de 15 dias!

Por conta do tempo prolongado de permanência, o alto gasto calórico de uma escalada, a boa alimentação é determinante para se fazer cume e até mesmo arriscar sua vida.

As expedições comerciais tem cozinheiros especializados a preparar refeições que agradem o gosto das pessoas e que seja nutritivo e calórico suficiente para dar suporte a uma escalada.  Nos acampamentos principais, como Confluência, Plaza de Mulas, Plaza Argentina, as agências têm barracas refeitório com mesas e cadeiras onde eles podem preparar comida de verdade que chegam até lá no lombo de mulas diariamente.

Barraca refeitório da expedição GenteDeMontanha em Plaza de Mulas. Foto de Edu Tonetti.

Nos acampamentos mais altos, as opções de alimentos frescos ficam limitados devido ao peso e a dificuldade de obter estes alimentos que precisam viajar por dias para chegar até ali. Antigamente não haviam muitas opções de alimentos que durassem tanto tempo nas mochilas e éramos obrigados a carregar enlatados, embutidos, com pouca variedade e que são muito pesados. Depois surgiram os alimentos desidratados, com molhos de pózinho, que são mais leves, mas nem sempre são tão bons e normalmente viram uma grande gororoba.

Adicione a dificuldade de se alimentar nas grandes altitudes a questão do peso do alimento, volume, prazo de validade, complexidade de se preparar (pense que tem que ser preparado num fogareiro no chão de uma barraca), e o consumo de água.

Água é uma coisa extremamente complicada nas altitudes, pois ela não existe em seu estado líquido, sendo necessário derreter neve para obter o precioso liquido. Isso significa que você precisa ter um bom fogareiro e muito combustível. Hoje em dia os melhores fogareiros são os da marca Jet Boil que vem com uma panelinha com sistema de radiador que permite derreter neve muito rápido e também a ferver água mais rápido ainda.

Adicione aos equipamentos necessário aos acampamentos altos a necessidade de ter kits de cozinha, com panelas, talheres e todos os utensílios, que são fornecidos pelas agências que operam no Aconcagua.

Atualmente a alimentação na altitude é facilitada pelo alimentos liofilizados. Estes alimentos são desidratados pelo processo de sublimação. Neste processo o alimento perde 4 vezes seu volume e peso, mas mantém os fatores nutricionais e o mais importante o sabor dos alimentos! Algo muito valorizado na altitude. Imagine você estar a 6 mil metros comendo um Strogonoff de frango, Risoto com creme de milho, Macarrão com Legumes? Estas são algumas das opções dos alimentos liofilizados.

Alimentos liofilizados em sua embalagem original. Foto Pedro Hauck

Os liofilizados foram “inventados” na década de 1960 por conta da corrida espacil, por isso também é chamado de comida de astronauta. Além de todas as vantagens já citadas, adicione ao fato de que para hidratar estes alimentos é necessário pouquíssima água, o que faz que o liofilizado também seja a comida do montanhista. Veja os links abaixo:

:: Veja as opções de alimentos liofilizados, a maior variedade do Brasil.

:: O que comer nas montanhas? – Artigo do site AltaMontanha

:: Comida de astronauta na montanha? – Artigo do site AltaMontanha

Veganismo

O veganismo é uma filosofia de respeito aos animais e adotar esta filosofia na montanha implica na alimentação, em não se alimentar de carne, nem ovos, muito menos de leite e derivados. Estas limitações dificultam bastante a logística das expedições, onde praticamente é necessário ter um cozinheiro preparando alimentos à parte aos veganos. Por conta disso muitas expedições não fornecem este serviço.

Há que se ter em conta que a prática do veganismo de verdade não se restringe apenas à alimentação, mas também em não utilizar animais para transportar equipamentos, como acontece nas agências. Há também a limitação dos equipamentos, pois a pluma de ganso utilizada nas jaquetas e sacos de dormir, por ser o melhor equipamento para isolar do frio é de origem animal, assim como o couro de botas e alguns cosméticos como protetores solar.

A recomendação é que veganos de verdade escalem o Aconcagua de forma independente, arcando com todas as consequências sozinhos por sua opção, fazendo sua própria comida, não utilizando mulas e usando seu próprio equipamento.

Comments are closed