Clima

A região Oeste da Argentina e o Chile Central está sob o domínio de um clima mediterrâneo, onde faz muito calor e é muito seco no verão e no inverno as condições de tempo se invertem, fazendo frio e chovendo bastante.

Por conta deste clima a época de escalada do Aconcagua é sem dúvida nenhum o verão, quando há menos riscos de tempestades e as temperaturas são menos frias. Se é comum fazer 30 graus em Mendoza em janeiro, no cume é possível que nesta época do ano a temperatura chegue por volta dos 10 graus durante o dia e -5 à noite em Plaza de Mulas. No cume e acampamentos acima de 6 mil metros é possível fazer -20 graus, mesmo na época mais quente do ano!

O movimento de grandes massas de ar proveniente do oceano Pacífico sofre alterações ao atravessar as montanhas da cordilheira e produzem fortes ventos, quentes e secos. Este fenômeno é o maior causador dos grandes temporais de vento e neve que assolam o Aconcágua e acabam por determinar o clima semi-árido da região, com a umidade sendo toda absorvida pelas montanhas que o antecedem. Por isso, mesmo a região sendo seca durante o verão, é comum ter nevascas nas partes mais altas da montanha e isso acontece geralmente depois das 2 da tarde, quando o calor também já derreteu muita neve e sobem nuvens carregadas, despejando neve com violência.

Nido de Condores após uma nevasca de fim de tarde. As nuvens lenticulares da foto são uma mostra de mal tempo.

Outono e primavera, outubro e abril, respectivamente início e final de temporada no Aconcágua são períodos conhecidos por suas mudanças dramáticas de temperatura e humor no tempo, porque misturam desordenadamente as características de inverno e do verão.

A observação dos fenômenos naturais também ajuda nas previsões meterológicas. Nuvens altas, parecidas com rebanhos de ovelha, as nuvens lenticulares, entrando rapidamente pelo oeste são indícios seguros de tempestade. Se entram vagarosamente indicam mal tempo prolongado.

Entardecer abafado com ventos instáveis, soprando de várias direções provocando uma sensação de mal estar são claros sinais de mudanças no tempo. Cirroestratos no céu e um “halo” envolvendo a lua também prenunciam o pior.

:: Aprenda mais sobre nuvens, em artigo de Maximo Kausch

O barômetro pode ser muito útil nas previsões atmosféricas. Se a leitura baixa rapidamente no decurso de poucas horas está anunciando uma tempestade, se baixa lentamente por dias seguidos indica longo período de mal tempo. Nas montanhas em geral o barômetro registra uma leve subida ao meio-dia e uma queda proporcional ao entardecer, o movimento contrário é sempre preocupante.

O ar frio com ventos suaves soprando dos vales, o céu azul ao entardecer, estrelas brilhantes e fixas durante a noite, ventos frios e cirros entrando do sul são sinais inequívocos de bom tempo.

Para planejar os próximos passos na escalada é sempre conveniente consultar todos estes indicadores em conjunto e só então tomar uma decisão sensata sem jamais descuidar do instinto nato do animal que mora dentro de você.

Por conta deste clima extremo, onde é possível pegar variação de 60 graus na temperatura entre a base e o cume da montanha, é necessário ter roupas e botas apropriadas (ver equipamentos) e experiência.

O preço do Permisso para escalar a montanha depende da melhor época de escalada, que geralmente é no começo de Janeiro. No entanto o clima não é uma ciência exata e às vezes o predomínio de sol é maior em outros meses, às vezes a temporada inteira é ruim por conta de algum fenômeno atípico, como o El Niño.

:: Site com a previsão do tempo do Aconcágua

:: Aconcagua Now. Câmera que filma em tempo real a situação do Aconcágua (disponível somente na temporada).

Nevasca aos 6000m no Aconcágua - Foto de Izabel Reigada

Nevasca aos 6000m no Aconcágua – Foto de Izabel Reigada

Comments are closed